Domingo, 22 de Outubro de 2006
Un montón de estrellas (champtunes)
Porque yo en el amor
soy un idiota
que ha sufrido mil derrotas,
que no tengo fuerzas
para defenderme.
Polo Montanez - Guajiro Natural


publicado por CRG às 21:35
link do post | comentar | favorito

Sábado, 21 de Outubro de 2006
Revivalismo...
Yo soy Mexicano!


publicado por CRG às 21:28
link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 19 de Outubro de 2006
Daily Dry
O lado positivo de se ter uma doença contagiosa é poder cumprimentar os nossos inimigos com uma particular efusividade.


publicado por CRG às 15:34
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Quarta-feira, 18 de Outubro de 2006
Ir!


"Ó clamoroso chamamento
A cujo calor, a cuja fúria fervem em mim
Numa unidade explosiva todas as minhas ânsias,
Meus próprios tédios tornados dinâmicos, todos!...
Apelo lançado ao meu sangue
Dum amor passado, não sei onde, que volve
E ainda tem força para me atrair e puxar,
Que ainda tem força para me fazer odiar esta vida
Que passo entre a impenetrabilidade física e psíquica
Da gente real com que vivo!

Ah seja como for, seja por onde for, partir!
Largar por aí fora, pelas ondas, pelo perigo, pelo mar.
Ir para Longe, ir para Fora, para a Distância Abstracta,
Indefinidamente, pelas noites misteriosas e fundas,
Levado, como a poeira, plos ventos, plos vendavais!
Ir, ir, ir, ir de vez!
Todo o meu sangue raiva por asas!
Todo o meu corpo atira-se prà frente!
Galgo pla minha imaginação fora em torrentes!
Atropelo-me, rujo, precipito-me!...
Estoiram em espuma as minhas ânsias
E a minha carne é uma onda dando de encontro a rochedos!

Pensando nisto - ó raiva! pensando nisto - ó fúria!
Pensando nesta estreiteza da minha vida cheia de ânsias,
Subitamente, tremulamente, extraorbitadamente,
Com uma oscilação viciosa, vasta, violenta,
Do volante vivo da minha imaginação,
Rompe, por mim, assobiando, silvando, vertiginando,
O cio sombrio e sádico da estrídula vida marítima."

Fernando Pessoa - Ode Marítima (extracto)


publicado por CRG às 17:43
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Daily Dry
Se resultou com o Túnel de Ceuta porque não?!


publicado por CRG às 13:48
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 16 de Outubro de 2006
Podia...

Puedo escribir los versos más tristes esta noche.
Escribir, por ejemplo: "La noche esta estrellada,
y tiritan, azules, los astros, a lo lejos".
El viento de la noche gira en el cielo y canta.
Puedo escribir los versos más tristes esta noche.
Yo la quise, y a veces ella también me quiso.
En las noches como ésta la tuve entre mis brazos.
La besé tantas veces bajo el cielo infinito.
Ella me quiso, a veces yo también la quería.
Cómo no haber amado sus grandes ojos fijos.
Puedo escribir los versos más tristes esta noche.
Pensar que no la tengo. Sentir que la he perdido.
Oír la noche inmensa, más inmensa sin ella.
Y el verso cae al alma como al pasto el rocío.
Qué importa que mi amor no pudiera guardarla.
La noche está estrellada y ella no está conmigo.
Eso es todo. A lo lejos alguien canta. A lo lejos.
Mi alma no se contenta con haberla perdido.
Como para acercarla mi mirada la busca.
Mi corazón la busca, y ella no está conmigo.
La misma noche que hace blanquear los mismos árboles.
Nosotros, los de entonces, ya no somos los mismos.
Ya no la quiero, es cierto, pero cuánto la quise.
Mi voz buscaba el viento para tocar su oído.
De otro. Será de otro. Como antes de mis besos.
Su voz, su cuerpo claro. Sus ojos infinitos.
Ya no la quiero, es cierto, pero tal vez la quiero.
Es tan corto el amor, y es tan largo el olvido.
Porque en noches como esta la tuve entre mis brazos,
mi alma no se contenta con haberla perdido.
Aunque éste sea el último dolor que ella me causa,
y éstos sean los últimos versos que yo le escribo.
Pablo Neruda - Poema 20



publicado por CRG às 00:45
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Domingo, 15 de Outubro de 2006
Country, bluegrass, blues and other music for uplifting gormandizers (champtunes)
CBGB vai encerrar as suas portas...

"
Jesus died for somebodys sins but not mine
Meltin in a pot of thieves
Wild card up my sleeve
Thick heart of stone
My sins my own
They belong to me, me"
Patti Smith - Horses

música: Gloria (original de Van Morrison)

publicado por CRG às 14:26
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Segunda-feira, 9 de Outubro de 2006
Nighthawk

"I am a Portuguese, Oporto born - Oporto, that somber city - and go at things as I have taught myself, free-style, and will make the record in my own way: first to knock, first admitted; sometimes an innocent knock, sometimes a not so innocent."


publicado por CRG às 23:10
link do post | comentar | favorito

Sábado, 7 de Outubro de 2006
My Melancholy Blues (champtunes)
"So come and get me
Let me
Get in that sinking feeling
That says my heart is on an all time low - so
Don't expect me
To behave perfectly
And wear that sunny smile
My guess is I'm in for a cloudy and overcast
Don't try and stop me
cos I'm heading for that stormy weather soon"
Queen


publicado por CRG às 22:07
link do post | comentar | favorito

pesquisar
 
Abril 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

30


posts recentes

Um Adeus Português (Alexa...

Daily Dry

Waking up (champtunes)

Sunflower

Auto-retrato

Daily Dry

Daily Dry

All I Want (champtunes)

Yellow brick road

Salto para o vazio

arquivos

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

tags

todas as tags

links
Champtunes
The Cure
Boys don't cry
subscrever feeds